Meu Twitter

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Benefícios do Morango


Benefícios do Morango
Benefícios do Morango
A melhor época para se consumir o morango é entre abril e setembro: ele chega às feiras de frutas com o melhor sabor e perfume! O morango é fonte abundante de vitamina C, que é antioxidante e previne gripes, infecções e ainda fortalece os dentes e ossos. Possui antocianina (substancia que dá sua cor) e auxilia na prevenção do envelhecimento precoce da pele e da arteriosclerose.


Existem mais de 600 variedades cultivadas da fruta, que diferem no sabor, tamanho e textura. Além das que são cultivadas pelo homem existem os morangos selvagens, que crescem espontaneamente, têm sabor intenso e pequeno porte.

Benefícios do Morango
Propriedades do Morango
Excelente fonte de vitamina C e manganês.
Contém vitaminas K, B2, B5, B6 e B9, Cobre, Iodo, Silício, Potássio e Magnésio.
Contém vários açúcares, incluindo frutose e principalmente levulose.
Elimina toxinas do corpo, assim, pode ser considerada uma fruta depurativa.
Alcaliniza o sangue e reforça a imunidade.
Pode ser considerado diurético e laxativo, por suas propriedades laxantes encontradas nas fibras e sais minerais, estimulando o intestino.
Possui pouco valor calórico (5 morangos de tamanho médio têm cerca de 24 calorias).
Possui fisestina (substancia que estimula o cérebro e melhora a memória).
Contém piroxidina (vitamina B6) que é benéfica especialmente para as mulheres.
Com relação aos fitonutrientes, eles possuem compostos dos grupos das antocianinas, dos flavonoides, dos ácidos hidroxicinâmicos e hidroxibenzóicos, exemplares de taninos e estilbenos.
Benefícios do Morango
Benefícios do Morango
O morango contém vitamina C, que reforça a imunidade ajudando no processo de cicatrização de feridas, afastando resfriados e absorvendo ferro dos alimentos. A vitamina C é também um dos antioxidantes que podem ajudar a prevenir o câncer, uma vez que um sistema imunológico saudável é a melhor defesa do corpo.
O potássio e magnésio presentes nos morangos são saudáveis ao coração e podem ajudar a regular a pressão arterial e também diminuem os efeitos negativos do sal.
Morangos são ricos em fibras, que são muito importantes para uma digestão saudável. Problemas que podem surgir da falta de fibras incluem constipação e diverticulite — uma inflamação do intestino que afeta cerca de 50% das pessoas com mais de 60 anos. As fibras também podem ajudar no combate a diabetes tipo 2, atrasando a absorção de açúcares, isto é, glicose no sangue. Como resultado, os adultos com diabetes podem desfrutar dos morangos com moderação na sua dieta.
Os morangos são naturalmente baixos em calorias e em sódio e açúcar. A coloração vermelha contém antocianinas, que estimulam a queima de gordura armazenada. Coma uma xícara e meia de morangos e você terá um lanche com menos de 100 calorias, e muito mais saudável do que qualquer lanche pré-embalado.
Morangos contêm potássio, vitamina K e magnésio, que são importantes para a saúde dos ossos. Elas promovem o crescimento dos ossos e mantém os ossos em perfeitas condições. O morango é perfeito para crianças em fase de crescimento.
A vitamina C presente no morango ajuda a fortalecer o músculo do coração e diminui o colesterol ruim. Além disso, os flavonoides ajudam na circulação das artérias e impedem a coagulação do sangue.
Os antioxidantes encontrados em morango podem ajudar a reduzir a inflamação das articulações, que facilitam o desenvolvimento da artrite e também podem levar a doenças cardíacas. Eles diminuem a proteína C-reativa. Essa proteína é um indicador de inflamações nas artérias. Então, quanto menores as taxas, menores também os riscos de doenças cardiovasculares.
Benefícios do Morango
Qual a melhor forma de consumir o morango?
O morango, como outras frutas, deve ser consumido preferencialmente no seu estado natural. Se for cortar os morangos, consuma imediatamente, pois quando seu interior entra em contato com o oxigênio, parte das substâncias antioxidantes do morango se perdem.

Se você for tomá-lo sob a forma de suco, opte por bebê-lo imediatamente também, enquanto suas substâncias benéficas ainda estão ali. Também evite cozinhar os morangos, pois boa parte da vitamina C se perde. O morango pode ser consumido em saladas ou em pratos de sobremesa. Confira uma ótima receita de batida com frutas vermelhas.

A dica é consumir morangos orgânicos sempre que puder. Caso não seja possível, é importante lavar bem, pois o morango é uma das frutas com grande quantidade de agrotóxicos.

Em que casos o morango não é indicado?
O consumo do morango não tem contraindicação, mas se consumido em excesso pode piorar os casos de pedra nos rins, devido à presença de ácido oxálico, substância causadora de cálculos renais. Por ser cítrico e possuir fibras insolúveis, o morango pode causar irritação no intestino e piorar o quadro de pacientes que sofrem com este tipo de problema.

Benefícios do Morango
Morango para Pele
O morango contém um composto antioxidante chamado ácido elágico que pode ajudar a manter as fibras elásticas e evitar a flacidez da pele, bem como combater os danos causados ​​pelos radicais livres e evitar rugas.

Morangos têm biotina que fortalecem o cabelo e unhas.

Os benefícios do morango para a pele também são proporcionados pelo seu conteúdo de vitamina C e pela presença do ácido elágico (um ácido hidroxibenzóico).

Combatendo a ação dos radicais livres, a vitamina C ajuda a retardar o envelhecimento precoce. A vitamina ainda é fundamental para o processo de síntese de colágeno, proteína que garante uma melhor firmeza para a pele. O ácido elágico também evita o surgimento de rugas provocadas pela exposição excessiva da pele aos raios UV-B.

Benefícios do Morango
Para aproveitar os benefícios do morango na pele, basta fazer uma máscara de morango. Amasse uns 3 ou 4 morangos e acrescente um pouco de farinha de aveia, misture até formar uma pasta. Passe na pele e deixe agir por 20 minutos, enxágue bem o rosto. Repita a operação 2 vezes na semana.

Benefícios da Vitamina D


Benefícios da Vitamina D
Benefícios da Vitamina D
A vitamina D é produzida pelo próprio organismo, com o auxilio da luz solar e interage com hormônios que regulam a quantidade de cálcio no organismo. É produzida a partir do colesterol, porém pode ser encontrada em alimentos como fígado, gema de ovos e óleos de peixe. Quando uma pessoa se expõe ao sol, os raios ultravioletas são absorvidos e atuam com o colesterol, transformando-o num precursor da vitamina D. Horas depois o fígado e os rins convertem esse precursor em vitamina D.


A vitamina D atua como um hormônio que mantém as concentrações de cálcio e fósforo no sangue através do aumento ou diminuição da absorção desses minerais no intestino delgado. Ela regula o metabolismo ósseo e a deposição de cálcio nos ossos. A vitamina D também é muito importante para crianças, gestantes e mães que amamentam, por favorecer o crescimento e permitir a fixação de cálcio nos ossos e dentes.

Deficiência de VitaminaD
A deficiência de vitamina D é muito comum no Brasil e no mundo, mas parece que a grande maioria das pessoas (e até médicos) não estão muito preocupadas com isso. Hoje, estima-se que mais de 85% da população podem ser deficientes em vitamina D.

Apesar do nome, a vitamina D não é uma simples vitamina. Na verdade, é um hormônio esteróide, obtido principalmente através de exposição ao sol, e não via dieta. Há pouquíssimos alimentos que realmente têm algum nível de vitamina D naturalmente, e mesmo alimentos ditos “fortificados” não contêm vitamina D suficiente para chegar perto das necessidades diárias.

Com o nosso estilo de vida moderno, é muito difícil pegar sol suficiente para se obter a dose excelente de vitamina D. Passamos muito mais tempo em ambientes internos, como casa e escritório, e ainda por cima, nos últimos há uma forte campanha “heliofóbica” (anti-sol), promovida pelo incentivo exagerado do uso de filtros solares.

Benefícios da Vitamina D
7 “Fatores de Risco” para Deficiência em Vitamina D
A única maneira de saber com certeza se você é deficiente em vitamina D é através de exames de sangue. No entanto, existem algumas características e sintomas que aumentam muito a propensão à deficiência.

1. Pele mais Escura


Peles negras estão em maior risco de deficiência de vitamina D. Se você tem pele escura, pode ser necessário até 10 vezes mais exposição ao sol para produzir a mesma quantidade de vitamina D que uma pessoa com pele branca. O pigmento da pele age como um protetor solar natural, por isso, quanto mais pigmento você tem, mais tempo você terá para gastar no sol para produzir quantidades adequadas de vitamina D.

2. Tristeza ou Depressão

Os níveis de serotonina (hormônio associada com a elevação do humor) aumentam com a exposição à luz. Cientistas avaliaram os efeitos da vitamina D na saúde mental de 80 pacientes idosos e descobriram que aqueles com os mais baixos níveis de vitamina D eram 11 vezes mais propensos a ser deprimidos do que aqueles que receberam doses saudáveis.

3. Mais de 50 Anos de Idade

À medida que envelhecemos, a pele não produz tanta vitamina D em resposta à exposição ao sol. Ao mesmo tempo, os rins (órgão também importante no processo de conversão da vitamina D) se tornam menos eficientes. A partir dos 70 anos, a produção de vitamina D já é 30% menor que um adulto jovem. Além disso, adultos mais velhos tendem a passar mais tempo dentro de casa (ou seja, recebendo ainda menos exposição ao sol).

4. Obesidade (ou Maior Massa Muscular)


A vitamina D é um hormônio solúvel em gordura, o que significa que quanto mais gordura você tem no corpo, mas a vitamina D é “consumida”. Se você estiver com sobrepeso, você vai precisar de mais vitamina D que uma pessoa mais magra, tornando a deficiência mais provável. O mesmo vale para pessoas com peso corporal elevados devido à massa muscular.

5. Dor nos Ossos

Se você está sentindo dores, especialmente em combinação com muito cansaço, isso pode ser sintoma de falta de vitamina D. Infelizmente, muitas vezes isso acaba sendo diagnosticada de forma errada, como tendo fibromialgia ou síndrome de fadiga crônica.

A deficiência de vitamina D provoca o efeito de acumular excesso de cálcio na matriz de colágeno em seus ossos, resultando em dor óssea.

6. Suor em Excesso

Um sinal clássico da deficiência de vitamina D é suor excessivo na cabeça. Esse é o motivo por que alguns médicos perguntam para novas mães sobre a sudorese na cabeça de seus recém-nascidos. A transpiração excessiva em recém-nascidos devido é descrito como um sintoma comum da deficiência precoce de vitamina D.


7. Problemas Intestinais

Lembre-se que a vitamina D é solúvel em gordura, o que significa que se você tiver uma condição gastrointestinal que afeta sua capacidade de absorver a gordura, você pode ter uma menor absorção de vitamina D também. Isto inclui condições do intestino como a doença de Crohn, doença celíaca (ou sensibilidade ao glúten não-celíaca), e doença inflamatória do intestino.

Benefícios da Vitamina D
O que bons níveis de vitamina D poderiam fazer por sua saúde?
A vitamina D combate infecções, incluindo constipações e gripe, uma vez que regula a expressão de genes que influenciam o sistema imune a atacar e destruir bactérias e vírus. A quantidade de estudos sobre vitamina D tem aumentado muito, e cada dia descobre-se mais benefícios de otimizar seus níveis de vitamina D.

Proteção contra doença cardiovascular. A vitamina D é muito importante para reduzir a hipertensão, doença cardíaca aterosclerótica, ataque cardíaco e derrame. Um estudo mostrou que a deficiência de vitamina D aumenta o risco de ataque cardíaco em 50%. O que é ainda pior: se você tem sofrer ataque cardíaco e for muito deficiente em vitamina D, o risco de morte chega próximo de 100%.

Proteção contra doenças auto-imunes. A vitamina D é um potente modulador imunológico, tornando-se muito importante para a prevenção de doenças auto-imunes, como a esclerose múltipla e a doença inflamatória do intestino.

Proteção contra infecções, incluindo a gripe. A vitamina D também ajuda a combater infecções de todos os tipos. Um estudo feito no Japão, por exemplo, mostrou que crianças em idade escolar, com 1200UI de vitamina D por dia durante o inverno reduziram seu risco de contrair infecção por influenza A em cerca de 40%. Hoje muitos acreditam que a suplementação com vitamina D é muito mais prudente, seguro e barato que vacinar-se contra gripe.


Reparo do DNA e processos metabólicos. Um dos estudos mostrou que os voluntários saudáveis que tomaram 8000UI de vitamina D por dia durante alguns meses regularizaram 291 genes responsáveis por até 80 processos metabólicos diferentes. Os efeitos variaram desde melhorar o reparo de DNA, até sobre a auto-oxidação — oxidação que ocorre na presença de oxigênio e radiação UV, com implicações para o envelhecimento e câncer, por exemplo.

Porque a vitamina D é tão fundamental?
A vitamina D tem sido destaque em vários estudos científicos, devido ao seu poder para combater a pressão arterial, controlar o peso e afastar o risco de tumores. Ela é essencial para o tratamento da osteoporose, pois promove a absorção de cálcio da dieta, nutriente necessário para o crescimento normal dos ossos. Algumas pesquisas sugerem que a vitamina também ajuda a combater doenças autoimunes, infecções e câncer.

Além de fortalecer nosso sistema autoimune, atua na secreção de insulina. Alguns estudos sugerem que a deficiência da vitamina pode levar ao prejuízo na secreção deste hormônio, o que poderia causar intolerância à glicose. A vitamina D é produzida na pele, mas é ativada pelos rins. Doentes com insuficiência renal necessitam de suplementos dessa vitamina.

Como repor bons niveis de Vitamina D?
A alimentação tem níveis muito baixos de vitamina D, ela pode ser encontrada no leite, no salmão, sardinha, óleo de fígado de peixe, cogumelo, ovos e alguns cereais que são fortificados com essa vitamina. Mas a principal fonte dessa vitamina vem do sol.

Benefícios da Vitamina D
O Banho de Sol
O corpo fabrica vitamina D graças ao contato com os raios solares. O ideal é se expor diariamente em média 15 minutos. Passe o filtro solar no rosto e deixe pernas e braços livres, já que o creme limita a absorção da luz. No entanto, pessoas mais claras, que necessitam de proteção solar absoluta, obtêm a vitamina mais facilmente, se expondo menos de 15 minutos três vezes por semana.

Existe o risco de deficiência de vitamina D durante o inverno, pois os raios solares nesta época não permitem a produção adequada de vitamina D. Também devido ao fato que a necessidade individual pode variar consideravelmente, dependendo de vários fatores.

Benefícios da Vitamina D
Suplementação de Vitamina D
Se é difícil conseguir bons níveis através do banho de sol, a suplementação é a melhor forma. Como orientação geral, a pesquisa da GrassrootsHealth sugere que os adultos devem consumir idealmente cerca de 8000 UI por dia para atingir um nível sérico de 40 a 50ng/ml.

Infelizmente, os suplementos de vitamina D encontrados com mais facilidade aqui no Brasil são de apenas 400UI, uma dose extremamente baixa comparada com as novas descobertas científicas. A opção é obter suplementos mais potentes em farmácias de manipulação ou em lojas no exterior.

Qual a quantidade ideal para uma saúde perfeita?
Quando se trata de vitamina D, você não quer estar na “média” ou no “normal”; você deve realmente buscar a faixa do “ótimo”. A razão para isso é que, a medida que os anos passam e as pesquisas avançam, a faixa recomendada progressivamente aumenta. Muitas vezes, o padrão utilizado em exames como “normal” fica defasado com as informações mais atuais.

No momento, com base na avaliação de populações saudáveis ​​que recebem muita exposição solar natural, o intervalo ideal para a saúde geral parece estar em algum lugar entre 50 e 70 ng/ml.

Deficiência <50 ng/ml Bom 50–70 ng/ml Ótimo (tratamento de câncer e doenças cardíacas) 70–100 ng/ml Excesso >100 ng/ml
Quanto à forma de otimizar seus níveis de vitamina D, a exposição solar adequada ainda é a melhor maneira. Se as suas circunstâncias não permitem que você acesse o sol com abundância, você deve tomar um suplemento de vitamina D.

Dicas de Bem-Estar


Dicas de Bem-Estar
Dicas de Bem-Estar
O que mais buscamos na nossa vida, no nosso dia a dia? Ter bem-estar. Sem ele não somos nada. Por outro lado, quando temos saúde, bem-estar e qualidade de vida, tudo fica em equilíbrio e harmonia.


E o que pode nos proporcionar bem estar? Em primeiro lugar, ter saúde plena: a saúde nos dá alegria de viver!

Além disso, o uso de abordagens complementares e integrativas para a saúde e o bem-estar cresceu mundialmente nos últimos anos. Estudos demonstram como movimentos corporais, massagem, meditação e plantas medicinais, entre outras, contribuem para a saúde de maneira integrada e harmoniosa com a abordagem convencional, colaborando também para a melhoria da qualidade de vida.

A ioga, alimentação saudável, massagens terapêuticas, holísticas e tântricas, a meditação, a atividade física, boas leituras, ter contato com a natureza, silêncio, respiração profunda, dar muita risada, bom humor, ter bons pensamentos, enfim, tudo isso faz parte do grande conjunto de ações que protegem o ser humano e fazem enorme diferença para manter coração, corpo, mente e espírito saudáveis. São ferramentas poderosas que previnem doenças ou tornam as pessoas mais fortes para encará-las.

Se você deseja ter um dia mais feliz, com aquela agradável sensação de bem-estar, veja algumas dicas:

Comece Bem o Dia
Dicas de Bem-Estar
Ao acordar, estique lentamente os braços e pernas, depois vire o corpo jogando as pernas para um lado e depois para o outro e finalize sentada de joelhos esticando os braços para cima. Todos esses movimentos duram cerca de 1 minuto. Se tiver mais algum tempo, realize um alongamento completo, ainda deitada, esticando principalmente a coluna, braços e pernas. Lembre-se que o alongamento é essencial para manter a região das costas ereta, pois com o passar dos anos ela tende a encolher. Espreguiçar é um movimento natural que alonga toda a musculatura corporal.
Comece o dia agradecendo. Procure agradecer por todas as coisas boas que acontecem na sua vida, ao invés de reclamar. Aproveite ainda esse momento para pensar nas coisas boas que irá realizar durante o dia, e tenha só pensamentos positivos.
Sempre procure tomar algum líquido, antes da primeira refeição do dia, água ou suco verde. O mais aconselhável é água com limão: esta bebida possui várias funções terapêuticas como as de alcalinizar, cicatrizar e desinfetar tecidos, como também desintoxicar o sangue. O que é importante é tomá-lo fresco e não colocar açúcar. Além de tudo, ele vai hidratar seu organismo, que ficou muito tempo sem a ingestão de líquidos.
Cuidado com o tipo de informação que você já encara pela manhã. Evite notícias ruins ou ver coisas que não te façam bem. Ao invés disso, opte por uma meditação.
Dicas de Bem-Estar
Cuide da Alimentação
As doenças causadas por deficiências nutricionais impedem que milhares de pessoas tenham saúde e bem-estar: uma boa alimentação é essencial para se ter bem estar.

Saúde começa pela boca. Certamente, você já ouviu essa expressão antes, mas o alimentar saudável é muito mais. O mais importante é pensar na alimentação de forma consciente. O que significa não só o que você coloca na boca, mas outras formas de se alimentar, como o ar que respira, as palavras que fala, tudo que escuta e vê, o não saber perdoar o outro e a você mesmo. Temos que entender que nos alimentamos também das nossas emoções. Portanto, se não priorizamos o alimento da mente não iremos integralizar a saúde por completo.


Procure alimentos e produtos frescos. Dê prioridade aos produtos orgânicos e agroecológicos. Se não pode consumi-los todos os dias, priorize aqueles que recebem carga menor de agrotóxicos. Dê preferência a compras em feiras e sacolões; se possível, conheça o produtor.

Movimente-se
Fazer exercícios físicos regularmente colabora para atingir e manter um peso saudável, além de ser um dos segredos da longevidade. Ser fisicamente ativo também pode fazê-lo ter mais energia, melhorar seu humor e reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas, além de fortalecer os ossos e regular o sono.

A prática de atividade física acelera o metabolismo e ajuda a gastar energia armazenada. Auxilia também na redução de gordura, preservando a musculatura, aliviando o estresse e fazendo você se sentir melhor.

O ideal é a regularidade nos exercícios sem sobrecarregar o organismo.

Não se esquecer dos alongamentos, que estimulam a circulação sanguínea, aquecem e lubrificam a musculatura e as articulações e oferecem maior disposição.

Outras Dicas:
Saber administrar o estresse é algo muito importante para manter o autocontrole. Um grau elevado de estresse — ou a incapacidade de lidar com ele — pode causar acidentes e problemas de saúde. Aprender a estabelecer prioridades e dizer “não” sem sentimentos de culpa pode ajudá-lo a reduzir o estresse em sua vida.
Uma noite de sono tranquila é essencial para repor as energias gastas durante o dia. Um sono com qualidade contribui para seu bem estar físico e emocional.
Mantenha bons contatos sociais. Quando nos vemos divididos entre as demandas profissionais e da vida familiar, é fácil perder contato com amigos e familiares. Estas relações são essenciais para nosso bem estar. Trabalhe para “estar em contato”.
Dicas de Bem-Estar
Ter Bem-Estar Depende de Você: Concentre-se em tornar as coisas mais simples!
A disciplina é difícil de implantar num primeiro momento, mas conquistada, torna a vida muito mais simples e produtiva. Com disciplina, tempo e dedicação você encontra os recursos e caminhos para fazer tudo o que deseja e aprende a fazê-lo de uma forma que lhe traga muito prazer e alegria.

Simplifique os relacionamentos, espere um pouco menos das pessoas, não estabeleça expectativas muito elevadas. Cada pessoa possui uma forma de ser e um tempo para poder avançar e alcançar novos estágios de relacionamento, compreensão e atitude. Seja gentil com as dificuldades dos outros, encontre justificativas para as dificuldades deles com a mesma disposição e criatividade que encontra para a suas!

Nossas percepções do mundo ao nosso redor são profundamente influenciadas e criadas por nossas percepções do nosso mundo interior. Se quisermos um mundo melhor aqui fora, precisaremos reformar o mundo que trazemos no nosso íntimo. Vale o conselho do Mahatma Ghandi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo!”

Espero que você tenha um dia com muito bem-estar! 🙂

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Alergia a Esmaltes


Alergia a Esmaltes
Alergia a Esmaltes

O esmalte, além de deixar nossas unhas bonitas, auxilia no fortalecimento e protege de agressões diárias. Mas o que a maioria das pessoas não sabe é que ele pode sim causar alergias. E hoje em dia, com tantas opções em cores e marcas, ter alergia a esmaltes é realmente lastimável!


Os principais causadores de reações alérgicas estão presentes na resina do esmalte, que têm como função dar a aderência e a durabilidade ao produto. Outro causador de reação alérgica é o tolueno (solvente da fórmula tradicional de esmaltes) e a mica (um pigmento utilizado nos esmaltes cintilantes e perolado).

A alergia ao esmalte, embora não tenha cura, pode ser controlada usando esmaltes antialérgicos ou adesivos de unha, por exemplo.

Você tem alergia a esmaltes?
Os tipos de alergia variam de pessoa para pessoa. A mais comum é a chamada dermatite de contato: uma reação inflamatória na pele, que pode ocorrer nas cutículas e também nas pálpebras, pelo contato do esmalte com a pele fina e sensível dessas regiões.

Alergia a Esmaltes
Quais os sintomas?
Para identificar a alergia ao esmalte, é importante estar atento ao aparecimento de alguns sintomas como:

Unhas frágeis, que lascam e quebram facilmente;
Pele avermelhada com bolinhas ao redor das unhas, olhos, face ou pescoço.
Coceira e dor na pele dos dedos, olhos, face ou pescoço.
Bolhas de água nos dedos.
Pele seca e descamativa nos dedos, olhos, face ou pescoço.
Em caso de alergia ao esmalte, nem todos os sintomas precisam estar presentes. Por isso, caso verifique que as suas unhas estão fracas ou quebradiças sem razão aparente, ou caso sinta vermelhidão ou coceira na pele, deve-se consultar o dermatologista logo que possível.

Lembre-se, porém, que unhas fracas e quebradiças nem sempre são sinônimo de alergia ao esmalte, podendo estar associadas a outros fatores como uso constante de unhas de gel ou devido a doenças como anemia.


Alergia a Esmaltes

Tratamento para a Alergia
Uma vez que não existe cura para a alergia ao esmalte, havendo apenas a opção de usar remédios antialérgicos que diminuem os sintomas, existem algumas dicas e alternativas que podem ajudar a evitar a alergia como:

Trocar de marca de esmalte, pois a alergia pode ser a certos componentes de marcas específicas.
Usar removedor de esmalte hipoalergênico, nunca acetona, pois esta pode agravar a reações de alergia na pele, podendo mesmo ser irritante para a pele.
Utilizar esmaltes sem Tolueno ou Formaldeído, os principais químicos causadores da alergia ao esmalte;
Utilizar esmaltes hipoalergênicos ou antialérgicos, feitos sem substâncias que possam causar reações de alergia.
Usar adesivos para unha para decorar a unhas, ao invés de esmalte.
Medicação para Alergia a Esmaltes
O tratamento para alergia a esmalte de unha ou dermatite de contato é feito através de medicações para controlar as lesões, como em qualquer outra alergia.

Caso seja confirmada a alergia, o médico poderá então iniciar o tratamento com remédios antialérgicos (como Loratadina ou Allegra), ou com corticoides (como Betametasona), que servem para aliviar os sintomas da alergia. Estes remédios podem ser usados na forma oral em comprimidos, ou na forma de pomada para aplicar diretamente na pele.

Alergia a Esmaltes
Esmaltes Hipoalergênicos
A fórmula dos hipoalérgicos foi criteriosamente elaborada para garantir saúde, beleza e bem-estar ao público feminino. Essa linha de produtos se diferencia das demais porque apresenta uma menor quantidade de substâncias químicas, em especial o tolueno e o formaldeído, dois componentes que podem causar irritações e alergia. Os esmaltes hipoalergênicos possuem fórmula enriquecida com cálcio, durabilidade e secagem rápida.

Algumas sugestões de produtos que possuem a opção hipoalergênicos ou não causam alergia:

Esmalte Risqué
Base Mavala
Removedor de Esmalte Impala
Esmalte Hipoalergênico Impala
Algumas pessoas mais sensíveis podem apresentar reações alérgicas mesmo aos esmaltes hipoalergênicos, pois hipoalergênico não significa estar 100% dos alérgicos. A leitura atenta de rótulos dos esmaltes é sempre recomendada. É interessante ficar de olho na composição de bases e removedores de esmalte. Unhas acrílicas também podem provocar alergia.

Óleo de Jojoba


Óleo de Jojoba
Óleo de Jojoba

A jojoba é uma planta parecida com um arbusto e é nativa da América do Norte. O fruto dado pela jojoba é parecido com um feijão, esverdeado e oval e que, quando retirada a casca, apresenta sementes em seu interior.


A partir do grão da jojoba é possível extrair o óleo. A produção do óleo do grão de jojoba era apenas um interesse das tribos nativo americanas, sendo usado para tratar ferimentos e problemas na pele. Depois, devido aos seus diversos benefícios, seu uso tornou-se muito amplo, principalmente na indústria cosmética.

Os grãos são colhidos manualmente. As cascas são retiradas e as sementes são prensadas a frio para a extração do óleo vegetal, que também é conhecido como uma cera líquida. A prensagem a frio não interfere na composição do óleo, mantendo assim seus nutrientes.

Óleo de Jojoba

Composição do Óleo de Jojoba
O óleo de jojoba é composto por vitaminas A, B1, B2 e E, ácido mirístico, mas sua composição é quase que exclusivamente dada pela ceramida, presente em 96% do óleo. A ceramida é um tipo de lipídio encontrado naturalmente entre as escamas dos cabelos.

Além das propriedades emolientes e umectantes da ceramida, a vitamina E presente no óleo confere efeito antioxidante, e o ácido mirístico proporciona ação anti-inflamatória e protege de irritações.

Óleo de jojoba também é fonte de vitaminas do complexo B, como é o caso da vitamina B5. O nutriente, que também é conhecido pelo nome de ácido pantotênico, ajuda no tratamento de reações na pele causadas pela radioterapia, além de poder acelerar o processo de cura de cortes e feridas.

Óleo de Jojoba
Benefícios para a Pele
Excelente para hidratar a pele seca, a pele absorve o óleo rapidamente sem deixar pegajosa.
O óleo de jojoba, por ser composto de ésteres de cera, é muito semelhante ao sebo produzido pela pele humana, sendo facilmente absorvido e dificilmente provocará algum tipo de alergia. Ele tem a capacidade de regular a produção de sebo, equilibrando para que não haja um excesso ou pouca produção. Por esta razão, o óleo é muito aplicado nos cosméticos para tratar espinhas, controlar a oleosidade e também para hidratar peles secas.
Previne a aparência de linhas de expressão e ajuda na cicatrização da pele
Previne o envelhecimento precoce da pele
Efeito antimicrobiano, impede o desenvolvimento de infecções bacterianas e fúngicas na pele.
Óleo de Jojoba

Benefícios para os Cabelos
Entre os benefícios do óleo de jojoba ainda estão os de ajudar a reabastecer a hidratação dos cabelos, melhorar a estrutura dos fios, tratar o couro cabeludo seco e combater a caspa.


Ele também é apresentado como algo que pode auxiliar na suavidade e brilho dos cabelos, além de contribuir com a eliminação do frizz de maneira natural.

No couro cabeludo, resíduos de condicionador, cremes e outros produtos podem se acumular, e quando a limpeza não é feita adequadamente, as películas ficam juntas umas às outras na superfície, dificultando a troca de células e o sebo fica encravado, provocando o endurecimento dos folículos.

O fato é que o sebo encravado no couro cabeludo impede o crescimento dos fios. Relatos afirmam que o óleo de jojoba ajuda no crescimento dos cabelos. O que de fato acontece é que o óleo dissolve esses sebos desobstruindo e oxigenando o couro e, assim, poderá produzir novas células que farão com que o cabelo cresça.

Além disso, o óleo é lubrificante, umectante e emoliente que amacia e nutre os cabelos quebradiços e é ótimo no tratamento de caspas. Como umectante, pode ser usado antes da lavagem dos cabelos, puro ou misturado com cremes de hidratação. É bom contra caspas — para dissolução dos sebos, deve ser aplicado somente na sua forma pura, diretamente no couro cabeludo, massageando-o. Também pode ser usado como finalizador. Com apenas duas gotas de óleo aplicadas nas pontas dos cabelos, as pontas espigadas e o frizz são amenizados.

Óleo de Jojoba

Como Usar o Óleo de Jojoba nos Cabelos?
Age como Limpador
Antes de lavar os cabelos, pingue algumas gotas do óleo de jojoba em todo couro cabeludo. Massageie bem e deixe agir por 10 minutos. Lave os cabelos normalmente. O óleo ajuda a eliminar restos de sebo que ficam encapsulados nos folículos pilosos. Suas propriedades antibacterianas e anti-inflamatórias ajudam a manter o couro cabeludo limpo e saudável.

Proporciona Brilho e Maciez
O óleo ajuda a repor e manter a umidade natural do cabelo saudável, devolvendo a ele a luminosidade e brilho. Ao lavar os cabelos, separe a quantidade de condicionador e coloque 3 gotas de óleo de jojoba. Misture e passe nos fios. Em seguida, enxágue.

Estimula o Crescimento
O uso habitual do óleo de jojoba o torna um excelente remédio natural que ajudará seu cabelo a crescer de forma mais saudável. O óleo de jojoba tem a capacidade de abrir os poros, eliminando os depósitos de sebo que não deixam que as novas células capilares se multipliquem normalmente. Separe uma colher de sopa de óleo de jojoba, acrescente 2 gotas de óleo essencial de alecrim e 1 gota de óleo essencial de cedro. Passe no couro cabeludo massageando bem. Deixe agir por 10 minutos. Em seguida, lave os cabelos normalmente.

Melhora a Aparência das Pontas Ressecadas
Antes de dormir, coloque umas gotinhas nas pontinhas e massageie levemente. Repita o procedimento diariamente até melhorar.

5 Óleos Essenciais para uma Pele Jovem e Saudável


5 Óleos Essenciais para uma Pele Jovem e Saudável
5 Óleos Essenciais para uma Pele Jovem e Saudável

Usar a riqueza dos óleos essenciais para cuidar da beleza da pele é um recurso natural e eficaz para deixar a sua pele mais saudável, hidratada, vibrante e bonita.


É importante destacar que um óleo, quando essencial, está altamente concentrado. Portanto, é necessário seguir as dosagens recomendadas na embalagem, ou mistura-lo com água ou um óleo carreador para não produzir danos, em vez de benefícios. Quando bem utilizados, os óleos essenciais são alternativas baratas em relação aos tratamentos tradicionais.

Benefícios dos Óleos Essenciais para Pele
Mantêm a pele úmida, preservando assim sua elasticidade.
Fornecem luminosidade e dão um aspecto radiante.
Dão balanço, equilibram a pele.
Previnem os sinais de envelhecimento.
Melhoram a textura.
5 Óleos Essenciais para uma Pele Jovem e Saudável

Quais os melhores óleos essenciais para pele?
1. Gerânio
O óleo de gerânio é tido como eficiente na redução de manchas de envelhecimento e cicatrizes. Quando a pele envelhece, seu tom perde uniformidade. A aplicação do óleo de gerânio pode ajudar a restaurar a uniformidade do tom de pele.

Ideal para pele seca, sem vitalidade e envelhecida, seu uso melhora o tônus, a cor e o brilho natural da pele. Os antioxidantes deste óleo ajudam a melhorar a elasticidade da pele e a firmá-la, prevenindo assim o aparecimento de rugas, sinais de idade e linhas de expressão. Ele também estimula a circulação sanguínea logo abaixo da superfície da pele, o que é importante para uma pele perfeita e para sua saúde em geral.

2. Lavanda
O óleo de lavanda equilibra a oleosidade tanto da pele seca quanto da oleosa, é ótimo para pele com acne, envelhecida, psoríase ou com queimadura. Tem propriedade tônica, anti-inflamatória, adstringente e cicatrizante.

O óleo de lavanda é mais dedicado a tratar cicatrizes deixadas por espinhas ou acne. Possui propriedades antioxidantes que protegem a pele dos perigosos radicais livres, bem como dos danosos raios ultravioletas (UV).

3. Palmarosa
O óleo de palmarosa é utilizado para tratamento de peles secas, envelhecidas e flácidas. O óleo ajuda a reter a umidade nos tecidos mantendo o equilíbrio da hidratação e maciez da pele. Por isso, pode aliviar a inflamação e alguns outros sintomas de desidratação, no tratamento de dermatite, além de curar feridas e estrias na pele. Age também como clareador de manchas da pele. Restabelece o equilíbrio fisiológico da pele e tem imediata ação calmante e refrescante.


4. Patchouli
O óleo de patchouli é um regenerador de tecidos. Contém propriedades hidratantes, sendo usado em eczemas, dermatites, rugas e pele rachada. É cicatrizante e em também propriedades rejuvenescedoras.

5. Sândalo
O óleo de sândalo contém propriedade antisséptica, anti-inflamatória e adstringente. Ele acalma e hidrata a pele. Ótimo para pele com acne. Possui propriedades antibacterianas, antifúngicas e antissépticas também melhora a luminosidade do rosto. Previne o envelhecimento precoce e deixa a pele mais suave.

5 Óleos Essenciais para uma Pele Jovem e Saudável
Como Usar os Óleos Essenciais para Tratamento Facial
Massagem Facial
Escolha um óleo carreador. Os melhores para a pele são: coco, argan e rosa mosqueta.

Separe 5 ml de óleo carreador (mais ou menos uma colher de sobremesa) e adicione 2 gotas do seu óleo essencial preferido. Misture bem e passe no rosto. Massageie por alguns minutos e deixe agir por 10 minutos. Em seguida, lave o rosto.

Creme Facial
Separe 20g do seu hidratante preferido e adicione 5 gotas do seu óleo essencial preferido, misture bem.Coloque em uma embalagem escura e mantenha em lugar escuro e seco.

Máscara Facial
Faça uma pasta de argila e adicione duas gotas do seu óleo essencial preferido. Misture bem e passe no rosto com um pincel. Deixe agir por 15 minutos e em seguida enxágue bem.

Para o tratamento com óleos essenciais ser eficaz é necessário usar com frequência. Se preferir, você também pode misturar os óleos essenciais.

Óleo de Abacate


Óleo de Abacate
Óleo de Abacate

Ainda pouco utilizado no Brasil, o óleo de abacate proporciona muitos benefícios à nossa saúde. Entre eles, a prevenção de doenças do coração e da próstata, o controle da glicemia, auxiliando no tratamento do diabetes, assim como na proteção aos olhos, pele e cabelos. Além disso, reforça a imunidade e auxilia no emagrecimento.


O abacate é uma fruta rica em proteínas, vitaminas A, C e E; ácido fólico e potássio. O abacate é conhecido por ser uma fruta calórica e repleta de gorduras. No entanto, essas gorduras são boas e ajudam a controlar o nível de triglicérides e colesterol ruim.

O óleo obtido a partir do abacate é muito rico em nutrientes. A extração do óleo de abacate ocorre por meio de centrifugação dos frutos quando maduros, isto é, quando estão com consistência mole — exatamente o momento em que apresentam teores mais elevados de óleo.

Características do Óleo de Abacate
A acidez do óleo de abacate é inferior a 1%. O óleo de abacate possui em sua composição várias substâncias medicinais. Entre as mais ativas temos lecitinas, fitoesteróis (beta-sitosterol especialmente), gorduras monoinsaturadas, vitamina A e um alto teor de vitamina E (quase o dobro presente no óleo de semente de uvas). O óleo é composto também de aminoácidos, como glutamina, que tem ação antioxidante, inibindo a formação de radicais livres, que desorganizam o núcleo das células.

Óleo de Abacate

Benefícios do Óleo de Abacate
A má digestão leva à azia, quantidade anormal de gás e inchaço. O óleo de abacate possui minerais, vitaminas e ácidos graxos monoinsaturados que ajudam no bom funcionamento do aparelho digestivo.
Devido à presença de gorduras monoinsaturadas, auxilia na redução do LDL (colesterol “ruim”) e no aumento do HDL (colesterol “bom”).
Por ser rico em beta-sitoesterol, molécula semelhante ao colesterol, atua na diminuição de absorção de colesterol no intestino, além de atuar na membrana das células diminuindo a recaptação do colesterol.
A presença de beta-sitosterol colabora para a saúde do coração, equilibrando o colesterol, além de auxiliar no tratamento de hipertrofia prostática, ajudando a reduzir o risco de câncer de próstata.
A vitamina E do óleo de abacate é uma ótima substância com poder antioxidante e ajuda na prevenção de rugas e no envelhecimento precoce da pele.
Pode atuar como importante interventor vascular através da alteração das membranas de células cardíacas e renais.
O óleo de abacate também pode ser usado no tratamento de dermatite, inflamações na pele, queimaduras, acne, psoríase e na aceleração da cicatrização em geral. É um óleo comum no tratamento pós-cirúrgico, prevenindo marcas e formação de queloides.
O óleo de abacate tem as propriedades anti-inflamatórias que ajudam a aumentar o crescimento e reparação de cartilagem. Pesquisa indicam que a combinação de óleo de soja e de abacate ajudam no tratamento dos sintomas de osteoartrite da anca e do joelho.
Quando adicionado a saladas ricas em licopeno e betacaroteno (tomate e cenoura, por exemplo), potencializa a absorção dessas substâncias.
O óleo de abacate ajuda a baixar a pressão arterial. O estudo realizado em animais de laboratório mostra que o óleo de abacate modificou o nível de ácido graxo essencial em rins, regulando a pressão sanguínea.
Benefícios do Óleo de Abacate para o Homem
O óleo age reduzindo a dilatação da próstata (hiperplasia prostática), prevenindo e ajudando no tratamento do câncer de próstata. Ele faz isso através de uma ação específica sobre o fígado, inibindo a enzima 5-alpha reductase, que age reduzindo a testosterona a dihidrotestosterona (DHT). Esta queda da testosterona e sua conversão a DHT ocasiona uma série de problemas. A ligação do DHT a receptores androgênicos na próstata tende a ocasionar dilatação da próstata, queda de cabelo, problemas vasculares e possibilidade de impotência sexual.

Benefícios do Óleo de Abacate para a Mulher
Ele também age positivamente na mulher causando um efeito anti-estrogênico, diminuindo a ligação do DHT a receptores de estrógenos. Isso previne os efeitos indesejados dos níveis altos de estrógenos no corpo como o desenvolvimento de ginecomastia, retenção de líquidos e aumento do peso, especialmente nas fases da TPM.

Óleo de Abacate
Consumo do Óleo de Abacate
Uma colher de sopa por dia já é o suficiente. Se possível, divida essa quantidade pelo menos 2 vezes ao dia. (2 colheres de sobremesa não muito cheias). Cuidado para não ultrapassar essa quantidade pois o excesso do óleo pode irritar a mucosa do estômago.

Cuidados
Não é recomendado para gestantes e lactantes, pois ainda não se sabe os efeitos do beta-sitoesterol no desenvolvimento dos bebês.

Óleo de Abacate

Óleo de Abacate para Pele e Cabelos
Rejuvenesce a pele seca: A vitamina E tem quase tudo que é necessário para rejuvenescer a pele seca. Na verdade, esta é uma das substâncias mais importantes para a saúde da pele. O óleo de abacate é rico em vitamina E e é seguro para uso como tratamento diário. É também possível criar uma mistura desse óleo com outras substâncias, tais como o óleo essencial de gerânio ou óleo essencial de lavanda. As adições de tais substâncias não altera a estrutura química do óleo de abacate.
Hidratante Facial: A função mais popular do óleo de abacate é a hidratação facial. A casca da fruta contém umectantes e você pode massagear a pele facial com o lado interno desta casca para ajudá-la a manter sua condição de umidade. É melhor aplicar este tratamento antes de dormir e deixar o óleo agir no seu rosto durante a noite. Na manhã seguinte, lave o rosto normalmente.
Tratamento do couro cabeludo seco: Para este tratamento, o óleo de abacate trabalha em pleno potencial quando misturado com óleo de rícino (óleo extraído da mamona). Misture 1 colher de sopa de óleo de abacate e 1 colher de sopa de óleo de mamona. Em seguida, aqueça a mistura. Use-o para massagear sua cabeça antes de dormir e deixe durante a noite. A mistura vai penetrar através de eixo do cabelo e também fornecerá nutrientes essenciais para o couro cabeludo. Lembre-se de lavar o cabelo com shampoo pela manhã. Além de útil para o couro cabeludo seco, este tratamento pode ajudá-la a se livrar de alguns problemas de cabelo, como a caspa.
Reduz os sinais de envelhecimento da pele: Mais uma vez, a vitamina E desempenha o papel mais importante. É um poderoso antioxidante que combate os radicais livres fortemente.
Óleo de Abacate

Receita de Máscara Facial de Abacate
Você vai precisar de ¼ de abacate para fazer essa receita de máscara.

Esmague a fruta até que se torne um creme.
Acrescente uma colher de sobremesa de óleo de abacate e misture.
Com a pele limpa, aplique a mistura.
Deixe a máscara agir durante 20 minutos para permitir a sua penetração nas camadas da pele.
Em seguida enxágue o rosto com água.